domingo, abril 13, 2008

Há muitos anos no túnel do tempo...

Minha amiga Luísa(entre outras e não vá ficar lisongeada lulu) disse que eu deveria voltar e escrever por que ela acha que o que escrevo tem o meu estilo. Não creio ser verdade pois muitas vezes não consigo passar meu deboche, meu sarcársmo, e trocadilhos pseudointeligentes, Enfim minha veia ruim que tanto desejo em meus desabafos e deboches para com a terrinha em que vivo neste momento e todas as outras coisas que observo no meu mundo.

E hoje me surpreendi com a data do meu ultimo post. Muuuuuuiiiiiiiiiiittttttooooooooo tempo atrás... tanto que nem consigo lembrar. Como diria o Vídeo Show... Diretamente do tunel do tempo.
Mas a verdade é que eu criei o bloguete, bitte não confundão as sílabas... sic...hehehehe achei que o "bitte" fica legal ali... Bem umas duas estações para trás. Pois, outono e inverno é tão entediante que nem escrever consigo...

Mas aí Lulu to de vorta na área... Se derrubar e penalty... Mas para mim é gol que não gosto desse negócio de dúvida, e não entendo lhufas de futebol, e detesto perder tempo com futilidades.

Mas digo que vou tentar escrever mais coisas sobre mim nesse país. o qualpasso um tempo de exílio (in)voluntário. Prometo! O problema é que além da Autoestima(a minha com A maiúsculo e ela tem nome) extra-inflada que algumas pessoas acham absurda, e costumam chamar de arrogância. Deve ser mesmo. Mas minha amiga Lulu sabe que o meu senso de autocrítica é tão grande quanto a autoestima. O que é exatamente o que permite meu humor azedinho. Pois eu rio de mim mesma, em primeiro lugar. Gente como eu, quando se autoestima, é arrogante. É o que a história social, cultural, e intelectual e racial, do terceiro mundo e outros mundos conta.

Eu também tenho preguiça de corrigir meus posts, e depois vejo um monte de coisa errada não corrijo, preguiça, e morro de vergonha da piora do meu português que foi o motivo de orgulho e de anos de pagamento de colégio particular para meus pais. Eles diziam que valor do Marista aparecia quando eu abria a boquinha e dizia: paralelepípedo, em tempo atuais seria inconstitucionalíssimamente... mas acho que hoje as crianças na escola devem saber dizer: Crise-do-mercado-imobiliário-americano-subprime! E explicar. É o mundo da copetitividade! Pena que ainda não tenho filhos, eu incentivaria a fazer da escola algo que não fiz, um lugar menos entediante com professores que só dão bola para um exame vestibular que na verdade é só o início dos nossos problemas. E não preparam ninguém para a vida e aceitar mais facilmente outras realidades beeeeemmmmm diferentes da nossa realidade tacanha pobre e bla bla bla bla... lembro me muito das veias abertas da américa latina ensinadas por um professor que não foi meu... Era um livro famosíssimo, há 20 anos no tunel do tempo, talvez mais. O que interessa é que o pobre substituía a um outro pobre demitido ou adoentado, sei lá. E, com essa visão antitotalitarista não pegava nem um pouco bem, num colégio católico apostólico Marista, em Brasília, cheio de filho de ,em tempos de fim de ditadura. O pobre foi demitido. Bem verdade meus pais nunca tiveram muito tempo para reclamar. Primeiro que essas idéias revolucionárias nunca chegaram lá em casa, o professor que era um gato e eu ficava invejando as meninas das outras seis turmas que tinham aula com ele. Hoje ele é casado com uma das meninas da escola que já é balzaca como eu. Bonito? Melhor não comentar. Mas parece que ainda mantém a veia revolucionária de outrora, talvez em retiro. E segundo por que meus pais tinham problemas para resolver e essa coisa de ficar vigiando escola já é um pouco demais,né? E fui assim crescendo... Ainda hoje eles pensam em dizem: Eu não sei a quem você puxou, ou com quem você aprendeu isso! Devíamos ter vigiado mais aquela escola... O problema é que eles não sabem o quão entediante era... Ai ai... Escola é um tédio total. E eu e minha mente fantasiosa mente fertil cresci em um mundo paralelo que pertencia a Mafalda, Almanaque Dysney e Pernalonga. Sem contar a turma do Zé Colmeia, Calvin e Asterix. Sem contar as coletâneas para Gostar de ler,, os livros do Cony, do Sabino, os Cem anos de solidão que li no tranco, comecei tres vezes, esse é um post aparte. As músicas do Gil, Caetano, os Clubes da Esquina.O tédio da tentativa de dominação religiosa por encontros de jovens que o objetivo era fazer nos chorar. E vc quer fazer por Status. Paga uma grana vai para uma fazenda cheia de lama para ouvir falar de Deus. Em um tempo que tudo que voce quer mais é um Sorvetão na praliné seguido de Cinema no Shopping. Coitada da minha mãe... E cada vez que passa descubro mas tédio em minha vida adolescente...

E agora vejo.Eu estava enganada. To preparadíssima para o tédio europeu, lugarzinho chato esse aqui. Nada no noticiário. Nem assalto a banco é sério! No máximo uma karanbolage de 70 carros no fim do inverno... Com morte de 1 e 60 ferimentos leves... Nada igual a uma Pascoa nas estradas brasileiras. E o povo aqui reclama da vida. E eu também.

Mas do que eu falava??? Ah Sei lá... mas prometo que escrevo.

Fui.

PS.: Revisem os erros aí, valeu?*


* Paráfrase de Romário nem tão conhecido pelas bandas de cá.

Um comentário:

Luiza disse...

Genial, GI!! Continuo adorando seu estilo! O ùnico erro a reparar é o do meu nome que é com Z e nao com S.. LUIZA.. hehehehehe..
Parabéns pelo sarcasmo bem colocado, pela memoria cheia de detalhes, invejàvel, e pela ousadia de ser original! Beijo grandao de sua fan...